Um abraço apertado, um beijo demorado e um “para sempre” ao teu lado.
Só é possível entender o tempo quem resolve não jogar contra. Só quem o deixa agir em seus propósitos e fluir com seu caminhar lento, natural e tedioso. Eu sei. Não é nada fácil. É bem complicado tentar ser amigo do mesmo cara que faz lembrar sua dor. Mas, ainda assim, vez ou outra ele mostra o porquê de existir.
Fred Medeiros. (via autorias)
Há 1 semana . 2.054 notas . compartilhe
É o jeito, o cheiro, o modo de vestir. Como caminha, como olha, como para. Não sei, eu amo.
Gabito Nunes. (via singelas)
Há 2 semanas . 40.561 notas . compartilhe
A vida é simples. Complicado sou eu.
Renato Russo.  (via auroriar)
Há 2 semanas . 87.029 notas . compartilhe
Sobre eu e você:
mais que laços,
eu quero
nós.
Josiele. (via imensador)
Há 2 semanas . 614 notas . compartilhe
Há 2 semanas . 10.525 notas . compartilhe
Quando é pra ser, os ventos contrários perdem as forças.
Tati Bernardi.   (via auroriar)
Há 2 semanas . 65.863 notas . compartilhe
Há 2 semanas . 353.738 notas . compartilhe
Eu amo as palavras, mas sou completamente apaixonada por atitudes.
Tati Bernardi.  (via nevoeirar)
Há 2 semanas . 70.531 notas . compartilhe
Quando a gente descobre algumas verdades, parece que todo o resto foi mentira.
Tati Bernardi.   (via r3-inventando)
Há 2 semanas . 60.630 notas . compartilhe
Há 2 semanas . 73.819 notas . compartilhe
Eu pintei Coldplay nas suas costas mas na sua cabeça só tinha Legião. A Clarisse no banheiro. Eduardo e Mônica tinham terminado. A gente bebia até vomitar e gritava da janela do apartamento da 102 que Ainda era Cedo. Eram três da manhã e nós tinhamos apenas Dezesseis. Eu ouvia os vizinhos gritando pra gente calar a boca e a gente cagava pra eles. Eu via as estrelas caindo, as luzes queimando tudo e o fim chegando cedo. Você viu nossos corpos em chamas ? Ah, deixa pra lá, acho que foi a bebida. Eu olhava pro céu e a tempestade que chegava era da cor dos seus olhos. Castanhos. Eu fui pegar outra garrafa de álcool pra ver se eu vomitava logo assim a Clarisse tinha um motivo pra sair do banheiro. A gente desceu e entrou no seu Brasília. Eu do seu lado no banco da frente. A Clarisse jogada no banco de trás. Ela fez marcas no seu corpo com seu pequeno canivete. A gente ia levar ela pra casa mas estávamos bêbados. Você a 80 por hora no eixão. Meu cabelo voava pela janela do carro e eu gritava pra todo mundo ouvir que eu te amava e você cantava de volta “acho que estou gostando de alguém e é de ti que não me esquecerei”. Eu via as luzes passando depressa, tão depressa que não conseguia acompanha-lás. Naquele momento eu te amava. Não era mais tão Maurício como costumava ser. Começava a chover e eu não queria ir embora. A gente largou a Clarisse no ponto de ônibus e foi direto pra UNB. Você estacionou o carro e ali a gente dormiu mas era a minha vez de cantar. E eu recitei Coldplay desejando que aquilo nunca acabasse.Oh take me back to the start.
— (via retaliador)
Há 2 semanas . 671 notas . compartilhe
theme por: romanceais